quinta-feira, 1 de outubro de 2015

AVISO À NAVEGAÇÃO: faz-te à Ludoteca!


Se ao fim do dia não sabes o que fazer! Se não tens para onde ir em boa companhia! Se precisas de apoio para os teus estudos! Se precisas de aceder à Internet! Se gostas de ler! Se simplesmente queres ocupar o teu tempo livre de forma divertida e ainda aprender umas coisas!

Então faz-te à LUDOTECA! De que é que estás à espera?

Para veres o que lá se faz, faz-nos uma visita quando te der mais jeito.
A LUDOTECA está aberta de segunda a sexta entre às 17:00h e às 19:30h.
Se tiveres dúvidas também nos podes contactar pelo Facebook da AJD

ou por email para assocjuvenildeao@gmail.com

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

INTERCÂMBIOS 2015 – EXPERIÊNCIAS, APRENDIZAGENS, AMIZADES

Se procuras novas experiências educativas e enriquecedoras tanto a nível pessoal como profissional, os intercâmbios são sem dúvida uma boa base de aprendizagem.
CELTA! EU? – AJD promove Intercâmbio em Viana do Castelo
   
Do dia 27 de julho ao dia 4 de agosto, a Associação Juvenil de Deão – AJD promoveu o intercâmbio trilateral “Celta! Eu?”, em parceria com o Concello de Vedra e a Fédération d’Animation Rurale en Pays de Vilaine.
Trinta jovens de Portugal, Espanha e França, mais 6 monitores/as, partilham, durante 9 dias, experiências, usos e costumes, línguas e as semelhanças entre regiões tendo em conta a cultura celta. Este projeto teve como objetivos fomentar a cooperação territorial entre as três regiões; conhecer e reviver muitos usos e costumes da sociedade Celta que influenciaram a construção de identidades na Galiza, Minho e Bretanha; perceber as semelhanças existentes entre as regiões, tendo em conta a cultura celta; promover a entreajuda, a auto-estima, a responsabilidade e a autonomia, contribuindo para a aquisição de competências pessoais, sociais e profissionais; sensibilizar a juventude para a importância da sua participação no desenvolvimento das comunidades, impulsionando a criatividade e o empreendedorismo; adquirir e/ou reforçar as competências linguísticas dos/as participantes; consciencializar para uma cidadania europeia e para um crescimento sustentável; proporcionar à juventude e comunidades a interculturalidade. O projeto é financiado pelo Programa Erasmus+ JA.
Tudo se realizou no Clube de Surf de Viana, no Cabedelo, e foi o melhor local para as atividades que queríamos desenvolver.
Foi uma semana que jamais será esquecida por qualquer participante. Criaram-se grandes amizades tanto entre os/as envolvidos no projeto como com o pessoal do clube de surf devido à sua amabilidade e simpatia.
Houve, claro, momentos menos bons: afinal tratam-se de três culturas diferentes que chocam no mesmo ambiente e aquilo que para uns é banal para outros são aspetos importantíssimos, o que faz-nos crescer tanto a nível pessoal como social, aprendemos a viver em comunidade respeitando as diferenças de cada um.
Em relação à temática descobrimos aspetos incríveis sobre o quão celta nós somos…
Sabiam, por exemplo, que as pessoas, do norte de Portugal, loiras e de olhos azuis podem ter origem celta? Ou que o ritual dos “Maios”, agora alterado, também poder ter origem celta? Estas e muitas outras curiosidades foram descobertas neste intercâmbio que resultou num livro infantil maravilhoso, totalmente criando pelos/as participantes e que brevemente estará disponível.
Por fim, fica um agradecimento especial a toda a equipa da AJD por nos proporcionar momentos como este.
Bruna Portela

Como a um/a irmão/ã te falo – Intercâmbio na Galiza

 Mais um ano e mais um projecto promovido pela AJD, em parceria com o Município de Vedra (Galiza, Espanha).
Este projecto é uma continuação do intercâmbio do ano 2014, que se realizou em Melgaço, Portugal. Este ano o intercâmbio teve lugar em Vedra, na Galiza, Espanha, entre 14 e 21 de Agosto e envolveu 32 jovens dos dois paises, acompanhados por 5 monitores/as.
O projecto foi financiado pelo programa Erasmus+ JÁ e intitulou-se "Como a um/ã irmão/ã te falo".
Com o trabalho desenvolvido ao longo do intercâmbio, os/as participantes fizeram um vídeo, que vai ser apresentado nos dois territórios, do Concello de Vedra e da AJD, as entidades parceiras do intercâmbio.
No primeiro dia, foram feitas as apresentações de cada participante, das normas, das metodologias e do programa de atividades. Também foi feita a apresentação da exposição que resultou do trabalho do o intercâmbio de 2014. No dia 15, vimos um documentário e fizemos um itinerário interpretativo pela região de Vedra. Passados dois dias, fizemos parte do Caminho de Santiago e realizamos dinâmicas de descobrimento do património (Castro antigo de Santiago) e visitamos o Museu do Povo Galego. À noite, os Galegos presentearam-nos com um jantar galego e ficamos a conhecer melhor a gastronomia da Galiza. No dia 17, assistimos a uma oficina de audiovisual sobre como gravar um documentário e à tarde trabalhamos nos temas paisagem sonora e património da água. No seguinte dia, começámos com a preparação do documentário, e passamos a tarde a refrescar-nos no rio, onde também praticamos canoagem. Nesta noite, foi a vez dos/as galegos/as deliciarem-se com a nossa gastronomia acompanhada com muita música e dança. O dia 19 foi um dia dedicado ao bronze com jogos pelo meio e a noite dedicada aos nossos sentidos. No dia 20, concluímos a gravação do nosso vídeo, que vai ser apresentado à comunidade. Na última noite, realizamos um baile onde dançamos, divertimo-nos e convivemos muito. Chegado o ultimo dia, realizamos uma dinâmica do programa Erasmus+ JA e o mapa de relações galaico-portuguesas.
Na despedida, soltaram-se muitas lágrimas e houve muitas trocas de carinho – o complexo emocional galaico-português foi um sucesso!
Foi um intercâmbio rico de experiências, aprendizagens, muita diversão, musica, dança e que certamente deixou em todos/as uma enorme saudade.
Daniela Silva

INTERCÂMBIOS

Este ano, como é já habitual, a AJD organizou dois intercâmbios, nos quais participei. Contámos também com a participação de vários/as jovens pela primeira vez, o que é sempre bom, para além de outros/as tantos/as repetentes.
O primeiro intercâmbio foi do tipo trilateral, com um total de 29 jovens provenientes da Bretanha em França, da Galiza em Espanha, e, claro, do norte de Portugal. Tendo como tema a cultura celta, algo comum a todos/as os/as participantes, apresentámos e debatemos as várias temáticas relacionadas ao longo da semana, resultando no produto final do projeto um livro de histórias infantil que resume e demonstra um pouco daquilo que são os costumes e tradições celtas.
De seguida, um novo grupo de jovens portugueses/as dirigiu-se a Vedra, na Galiza. Tratava-se de uma continuação do intercâmbio “Passado, Presente, Futuro” de 2014, e, como tal, o tema passava pelas semelhanças entre Galiza e o norte de Portugal, aquilo que nos une. Como seria de esperar, por ser uma continuação do projeto, uma grande parte dos/as participantes já se conhecera previamente, no ano anterior, o que proporcionou um diferente grau de intimidade e confiança.
Por último, participei ainda num outro intercâmbio promovido pela Federação de Associações Juvenis de Viana do Castelo, representando a AJD, com italianos/as de San Sperate, da Sardenha. Estivemos alojados/as no Centro de Alto Rendimento de Surf, no Cabedelo, tal como no primeiro intercâmbio, passando depois para o parque de campismo Orbitur. A média de idades era ligeiramente superior, sendo todos/as maiores de idade, o que levou a uma distinta experiência dos intercâmbios anteriores.
Ficaria suficientemente satisfeito com a oportunidade de participar num único intercâmbio, mas à medida que as propostas surgiam, ia-me sentindo cada vez mais carregado de êxtase. É incrível o quanto se aprende, desde os temas até à inevitável partilha das culturas e experiências de cada país, passando, claro, pelos conhecimentos linguísticos, algo que me apela em particular. Acho muito interessante acompanhar a evolução das capacidades adquiridas em apenas uma semana. Além disso, devido à convivência constante de vários dias, os laços de união que se criam entre os/as participantes é excecionalmente forte.
As memórias serão eternas.
É algo que definitivamente repetirei sempre que possível.
É simplesmente especial.

Luís Alves

terça-feira, 29 de setembro de 2015

SERVIÇO VOLUNTÁRIO EUROPEU - SVE

Aprendendo e partilhando saberes e culturas.

Às duas voluntárias que recebemos no início do mês de abril, juntou-se mais uma no mês de setembro. Aqui ficam relatos sobre o trabalho que desenvolvem, e também constatamos a sua evolução na aprendizagem da nossa língua.

Semana da interculturalidade
Na segunda semana de julho, fizemos uma viagem através de diferentes culturas europeias, para mostrar a multiculturalidade da nossa associação. Temos a maioria portuguesa, a nós mesmas, da Roménia e da Alemanha, a Bibi, que é uma parisiense nascida e criada, e a comunicação é uma mistura de Português, Alemão, Francês e Inglês.
A ideia principal era as crianças aprenderem um pouco sobre de onde vem cada uma, através de atividades divertidas e educativas e preparar um lanche com comida típica dos países representados. Por isso, tivemos os Pastéis de Belém, os doces pequenos portugueses de massa folhada com um recheio de creme de ovo, os deliciosos crepes caseiros da Bibi com um montão de Nutella, espetadas saudáveis de melancia e para terminar em grande, fizemos um churrasco alemão com mostarda de cor azul típica do carro Trabant da Alemanha oriental.
Em nosso último dia, fomos suficientemente corajosas para fazer um campeonato de futebol, incluindo espetadores, claques, uma cerimónia de entrega de prémios, e até um intervalo para bolo que é "muito típico" no futebol Português. O quê?! Nunca viram uma pausa, enquanto alguém vai andando no campo com doces deliciosos fornecendo a Ronaldo & Cª uma dose de açúcar? Pois, nós fizemos.
Bem, apesar dos efeitos que a concorrência teve sobre as crianças, incluindo as lágrimas, raiva e fazer beicinhos, tivemos uma semana adorável, cheia de novos conhecimentos e experiências. E felizmente, tivemos uma semana de amizade, tolerância e compreensão a seguir para dar às crianças a oportunidade de aprender que na vida elas também ganham como perdem um pouco e tem de saber aceitar.


As nossas férias de verão e a nossa vida em Portugal
No início de agosto, fomos convidadas pela Junta de Freguesia de Torre e Vila Mou para participar numa mesa redonda sobre o tema do Erasmus+ JÁ e passar a nossa experiência EVS para a juventude entusiasmada da região.
Um outro encontro foi o terceiro VAI, ligado ao associativismo juvenil desenvolvido por quatro organizações, reunidas na AJD em Deão.
Aproveitamos para dar uma olhadela na última Festa de Portugal, as Feiras Novas em Ponte de Lima, e fazer uma típica Caminhada Portuguesa ao longo da Ecovia de Deão.
A AJD também acolheu jovens da França e de Espanha para um intercâmbio de 10 dias, pesquisando as raízes celtas dos três países. Dançamos e cantamos juntos e visitamos o Porto e Viana do Castelo.
Além de tudo, fomos de novo convidadas para vestir os trajes tradicionais minhotos para desfilar nas Festas de Deão, integrando a Procissão.
Depois de todo esse burburinho, precisávamos de algum descanso e relaxamento e fomos para o sul, para o pitoresco Alentejo aproveitar o sol na costa Vicentina, conhecemos pessoas muito giras e comemos comida mesmo deliciosa.
Foi um verão adorável que, infelizmente, chegou ao fim, mas um verão do qual nunca nos vamos esquecer e esperamos revive-lo aqui no lindo Portugal.

Guest Post – Artigo Convidado
      No início de setembro, uma nova voluntária juntou-se à equipa SVE da AJD. Natalia Kolodynska estará em Viana do Castelo para um projeto de 10 meses, até ao final de junho de 2016. Lê o que ela tem a dizer sobre os seus primeiros dias em Portugal!
“Olá! Eu sou a Natalia e comecei o meu voluntariado no dia 1 de setembro. Eu vivo em Varsóvia, a capital da Polónia. Não tive muito tempo para preparar a minha viagem, porque trabalhei na Polónia até ao último dia. Então, fiz as malas muito rápido, mas o estranho é que, apesar de isso, trouxe comigo quase todas as coisas que queria. Na sexta-feira tive o último jantar com os meus amigos (um deles era Ola - na Polónia é o nome de uma menina). No dia 29 de Agosto, às 06:30, eu comecei a minha viagem em Varsóvia. Fiquei realmente surpreendida, porque os meus amigos foram ao aeroporto dizer-me adeus (às 5 da manhã!). Depois de mudar em Bruxelas, cheguei finalmente ao Porto. Tinha um grande sonho - dormir, dormir e dormir. Eu estava muito cansada, porque o mês anterior foi cansativo, mas eu não podia desistir, eu tinha que ver o oceano. Decidi fazer uma caminhada e fui novamente surpreendida. O Porto não é tão plano como um prato. A cidade é cheia de colinas e vales. Além disso, o metro anda na maior parte da cidade acima do solo. Parece-se mais com um elétrico do que com um metro. No domingo, terminei o meu fim de semana e parti para Viana do Castelo. Ana Paula e Joaquina foram-me buscar à estação de comboios, mostraram-me o meu novo apartamento e levaram-me a jantar. O tempo estava surpreendente, porque no ar havia algo como fumo, mas isso vinha do mar. No dia seguinte, a primeira coisa, foram as gaivotas dizerem "Olá!" para mim. Elas gritavam muito alto.
Na segunda-feira comecei o meu primeiro dia na AJD. As minhas principais tarefas na AJD estão relacionadas com a comunicação (tanto a Internet como a media tradicional). A equipa e as crianças prepararam-me um grande cartaz de bem-vinda. Foi uma grande surpresa! Fiquei muito feliz e não esperava um começo tão giro para o meu serviço voluntário. Quero dizer-lhes "Obrigada!" (uma das duas palavras que eu conheço em Português – a outra é cerveja!).
Na terça-feira à noite fui com a Gretel (a outra voluntária) ao "XIX Festival de Folclore Internacional - Alto Minho" em Viana. Não esperava encontrar polacos tão longe do meu país!
Será um tempo louco, começar a minha aventura com uma nova língua e cultura. Façam "figas" meus amigos!
Gretel Marksteiner e Melanie Beier


Podem ver mais relatos no blogue  www.evsviana.blogspot.pt

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

“SOS DISCRIMINAÇÃO”


          A AJD participou no concurso “É de género?”, promovido pela Associação Rosto Solidário e financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian – EEA Grants, com o projeto “SOS DISCRIMINAÇÃO”, que foi finalista. Este consistia em desenvolver o tema e mais tarde filmar várias cenas onde se retratam vários assuntos, como a desigualdade salarial, racismo, violência no namoro, violência na escola, entre outras situações que ocorrem no quotidiano.
No âmbito deste concurso, com alguns membros da AJD e os/as jovens envolvidos/as no projeto, deslocamo-nos, no dia 27 de junho, a Santa Maria da Feira, onde participamos no encontro com os restantes grupos responsáveis pelas ideias finalistas.
A partir desse momento, desenvolvemos o projeto, que pretende sensibilizar não só os/as jovens mas também a restante população. Começamos por juntar cinquenta jovens, no dia Internacional da Juventude, 12 de agosto, onde cada grupo organizou todas as ideias que tinha para a gravação do vídeo.
Mais tarde, cada grupo apresentou as suas propostas aos restantes. No final desse dia estava tudo pronto para que as gravações começassem. Durante alguns dias, foram filmadas várias cenas, de acordo com o que estava planeado, para que depois estas possam ser editadas e mais tarde o vídeo estará pronto para ser divulgado.
Esperamos que o vídeo chegue a todos/as, e que acima de tudo, fiquem sensibilizados/as ao vê-lo.
Mariana Viana 

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Associação Juvenil de Deão acolheu o 3º Encontro do Projeto VAI


        A AJD integra um projeto-piloto que está a ser realizado, no ano de 2015, por quatro associações que desenvolvem o seu trabalho em diferentes concelhos do norte de Portugal (AJD - Viana do Castelo, Associação SALTA FRONTEIRAS - Felgueiras, Associação SYNERGIA - Braga, Associação YUPI - Famalicão).
O Projeto VAI (Voltas Associativas Intercâmbio) tem como objetivo promover espaços de partilha de desafios e experiências associativas, espaços de reflexão de problemas que invadem o quotidiano das associações, momentos de debate de políticas de juventude e estratégias que permitam um melhor funcionamento das associações.
Depois dos encontros que decorreram em Felgueiras e Famalicão, foi a vez da AJD acolher as associações parceiras em Viana do Castelo durante os dias 12 e 13 de setembro de 2015. Debateu-se com mais de 10 dirigentes associativos, voluntários/as e técnicos/as sobre as experiências, as prioridades, os problemas e os desejos do associativismo juvenil, considerando, no momento, que a construção de um futuro de cooperação poderá ajudar na resolução de problemas/preocupações existentes nas associações, no conhecimento de outras atividades e projetos de educação não formal que a juventude poderá beneficiar, na promoção do associativismo e na reivindicação de direitos e do reconhecimento da importância do associativismo a nível local, regional, nacional e internacional que favoreça o crescimento destas associações e das populações com as quais trabalham. Os momentos de convívio também fizeram parte deste encontro, tendo os/as participantes a oportunidade de contactar e conhecer a cidade de Viana do Castelo através de um peddypaper e caminhar pela beleza natural e paisagística do percurso das veigas da ecovia do rio Lima.
O 3º encontro do Projeto VAI contou com o apoio do Instituto Português do Desporto e Juventude e da Junta da União de Freguesias das Terras de Geraz e Deão.
O próximo encontro realizar-se-á em Braga, permitindo conhecer melhor a realidade local da associação juvenil que nos irá acolher - Synergia, e planear a continuidade deste projeto.

Sara Freire

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Ludoteca – Férias 2015


      Tal como todos os anos, o espaço Ludoteca organiza as férias de verão de uma forma mais cuidada e com o intuito de proporcionar momentos de lazer e aprendizagem às crianças que o frequentam. Neste sentido, atribuiu-se uma temática diferente a cada semana, com vista à abordagem de uma vasta área de conteúdos. Do tema principal surgiram todas as atividades desenvolvidas ao longo de cada semana, sendo estas pensadas com cuidado para que fossem ao encontro das necessidades do público-alvo.
Começamos com uma semana dedicada à apresentação do grupo explorando as características pessoais, gostos e preferências de cada um. Desta forma, realizaram-se jogos de interação entre pares que pretendiam que cada criança se desse a conhecer um pouco mais.
A semana que se seguiu marcou o início do verão e a estação tornou-se o tema principal da mesma. Assim, foram realizadas atividades onde se exploraram os cinco sentidos, a literatura infanto-juvenil e os cuidados a ter numa ida à praia.
No final da semana foi organizada uma atividade prática que intitulamos de “A praia vem até nós”, no qual as crianças vieram preparadas para uma ida à praia e foram utilizadas as mangueiras para se poderem refrescar. A tarde terminou com bolo e limonada.
Aproveitando o facto de termos duas voluntárias a colaborar com a AJD de nacionalidades diferentes, com a sua colaboração foram organizadas diversas atividades dedicadas à exploração de outras culturas, nomeadamente a da Alemanha, da Roménia, Portugal e da França. As voluntárias, juntamente com as monitoras, organizaram atividades direcionadas para cada país, permitindo às crianças conhecer os símbolos mais emblemáticos de cada um. Cada dia terminava com um lanche típico do país que estava a ser trabalhado. No final da semana realizou-se um torneio de futebol disputado pelos quatro países, do qual saiu vencedora a equipa da Alemanha.
À medida que o tempo ia passando, tornaram-se percetíveis algumas dificuldades na interação entre pares: os jovens não colaboravam uns com os outros e a relação entre os membros do grupo não era a desejada. Neste sentido, durante uma semana foi delineado um conjunto de atividades que promovia a entreajuda e colaboração, nomeadamente jogos nos quais as crianças, para atingirem o objetivo final, tinham de trabalhar em grupo.
Uma vez que as crianças de hoje serão os adultos de amanhã, consideramos pertinente consciencializá-las para algumas problemáticas importantes e transmitir determinadas práticas que podem fazer a diferença a longo prazo. Desta forma, a alimentação saudável e equilibrada, o ambiente e o Bullying foram temáticas exploradas nestas férias, desenvolvendo-se atividades abordando a reciclagem, a preservação dos recursos naturais, o estudo da roda dos alimentos, a confeção de receitas saudáveis e nutricionalmente equilibradas, a organização de um debate partindo de uma situação de Bullying e a simulação de uma audiência em tribunal.
Seguiu-se a semana dedicada às ciências experimentais, tendo sido desenvolvido um conjunto de experiências científicas que explicam fenómenos do dia a dia.
As artes plásticas e performativas são bastante apreciadas pelas crianças. Neste sentido decidimos dedicar uma semana a este tema promovendo tarefas como a confeção de roupas com materiais recicláveis, a aprendizagem de truques de magia, entre outras.
Com o intuito de satisfazer alguns pedidos das crianças e indo ao encontro das suas preferências, foi também organizada uma semana dedicada ao desporto, que incluiu um passeio de bicicleta pela freguesia, uma sessão de primeiros socorros realizada pelos bombeiros voluntários da Cruz Vermelha Portuguesa, jogos desportivos e uma ida à piscina de Ponte de Lima.
Jerusa Lopes

Para terminar, no final das férias foram recolhidas as opiniões dos jovens/crianças acerca das férias de verão na Ludoteca:
ü     “As férias de verão na AJD foram muito divertidas, pois todos os dias havia atividades muito engraças e com elas as minhas férias não foram uma seca.” Diogo, 13 anos
ü     “Gostei das atividades lá fora. Gostei muito de descobrir o que as caixinhas tinham lá, da caça ao tesouro e de quando os meninos do centro vieram cá. Ainda me lembro do jogo da teia e do dia dos insufláveis.” Sara, 6 anos
ü     “Gostei das férias na Ludoteca porque se não tivesse estas atividades de verão as minhas férias seriam uma seca. As atividades que mais gostei foram a ida à piscina, os jogos do UNO e Monopólio e tarefas que trabalhávamos com comida.” Verónica, 13 anos
ü     “Foi fixe, gostei muito de vir à AJD. Pude jogar computador, em casa só jogava de manhã. Gostei do passeio à capela de Nª Sª do Norte.” Gabriel, 8 anos
ü    “As férias deste ano foram muito divertidas. Com as estrangeiras que cá estiveram aprendemos a cultura de alguns países. Gostei também dos jogos de futebol, de UNO e Monopólio, de cozinhar e principalmente da piscina. Sem a AJD as férias não teriam sentido”. Tiago, 13 anos
ü      “As férias foram muito fixes.” André, 12 anos